Direitos Humanos, Mulher, Vida


Home
Violência Doméstica
Abuso Sexual
Assédio Sexual
Aborto
Contactos Úteis

 

 

Consequências físicas e psicológicas

 

 

Consequências Físicas

    A gravidade das complicações mórbidas que provêm do aborto, tendem a aumentar com a duração da gravidez, por exemplo, um aborto no segundo trimestre de gestação é mais perigoso que um no primeiro trimestre. Embora também possam ocorrer nos casos de aborto espontâneo, as complicações são mais graves e mais frequentes quando o aborto é provocado.

    A hemorragia, nos casos de aborto espontâneo, raramente se espalha com abundância. Já no aborto provocado, ela é mais intensa e pode até mesmo levar ao choque. As infecções, apresentam-se relativamente raras e benignas no aborto espontâneo, mas podem ser graves e mortais no aborto provocado.

    O traumatismo mais perigoso associado ao aborto provocado, é a perfuração uterina, que pode ocasionar peritonite e morte. O colo do útero também pode ser lesado durante a prática do aborto e, mais raramente, outros órgãos como a bexiga e alças intestinais.

 

 Consequências Psicológicas

    Além das possíveis consequências físicas, o aborto costuma provocar crises de arrependimento e culpa, e reacções psiconeuróticas ou mesmo psicóticas graves.

    A maioria das mulheres pratica o aborto em situações desesperadas de medo ou insegurança. Depois disso, muitas deixam de se cuidar e, sem apoio psicológico para lidar com os seus sentimentos, acabam por engravidar de novo.

    Por mais liberta que a mulher esteja dos padrões morais e religiosos, por mais consciente da impossibilidade de levar a termo a sua gestação, ou por mais indesejada que tenha sido a gravidez, abortar é uma decisão que, na maioria das vezes, envolve medo e angústia. Estes sentimentos aumentam quando o aborto é realizado em clínicas clandestinas.

 

    Tal como nos mostra o quadro abaixo indicado e os textos acima referidos, podemos concluir que não vale a pena corrermos todos os riscos necessários para a realização do aborto, ou seja, não compensa sacrificarmos a Mulher para que possa haver privação do nascimento.

 

Efeitos Físicos

Efeitos Psicológicos

Esterilidade

Sentimento de culpa

Abortos espontâneos

Impulsos suicidas

Gravidez ectópica

Pesar/Abandono

Natimortos

Arrependimento/Remorso

Hemorragias e Infecções

Perda da fé

Choques e comas

Baixa auto-estima

Útero perfurado

Preocupação com a morte

Peritonite

Hostilidade/Raiva

Febre/Suor Frio

Desespero/Desamparo

Dor intensa

Desejo de lembrar da data de nascimento

Perda de órgãos do corpo

Alto interesse em bebés

Choros/Suspiros

Frustração do instinto maternal

Insónias

Ódio por pessoas ligadas ao aborto

Perda de apetite

Desejo de terminar o relacionamento com o parceiro

Exaustão

Perda de interesse sexual/Frigidez

Perda de peso

Incapacidade de se auto-perdoar

Nervosismo

Pesadelos

Capacidade de trabalho diminuída

Tonturas e tremores

Vómitos

Sentimento de estar a ser explorada

Distúrbios gastro-intestinais

Horror ao abuso de crianças

 

 


Home | Violência Doméstica | Abuso Sexual | Assédio Sexual | Aborto | Contactos Úteis

 
 Qualquer problema ou comentário que possa surgir acerca desta página deve ser encaminhado para dmfilo@gmail.com.
Trabalho realizado por: Diana Silva / Miguel Guimarães

Última actualização: segunda-feira, 06 de Junho de 2005 22:16:43.